Bibliografia Lajus: Conceituando o gênero, Oyèrónké Oyěwùmí

Que tal tirar um tempinho do final de semana para ler a nossa indicação da #bibliografiaLajus!? O texto de hoje é ” Conceituando o gênero: os fundamentos eurocêntricos dos conceitos feministas e o desafio das epistemologias africanas” da pesquisadora nigeriana Oyèrónké Oyěwùmí.

Nele, a autora propõe uma interrogação dos conceitos de gênero com base em experiências e epistemologias culturais africanas. Para isso, Oyěwùmí dá enfoque ao sistema nuclear de família, apontado pela autora como fonte original de muitos dos conceitos de gênero.

“A família Iorubá tradicional pode ser descrita como uma família não-generificada. É não-generificada porque papéis de parentesco e categorias não são diferenciados por gênero. Então, significativamente, os centros de poder dentro da família são difusos e não são especificados pelo gênero. Porque o princípio organizador fundamental no seio da família é antiguidade baseada na idade relativa, e não de gênero, as categorias de parentesco codificam antiguidade, e não gênero. Antiguidade é a classificação das pessoas com base em suas idades cronológicas. Daí as palavras egbon, referente ao irmão mais velho, e aburo para o irmão mais novo de quem fala, independentemente do gênero. O princípio da antiguidade é dinâmico e fluido; ao contrário do gênero, não é rígido ou estático.”

Para acessar o texto completo é só clicar aqui.

Bom final de semana! 😁